3 de junho de 2010

Entrevista Exclusiva com Rafael Rafuza

Eu sei que ja estava devendo essa entrevista com o Rafael Rafuza (foto) faz algum tempo, mas aqui (finalmente) está ela. (Cuidado, a postagem é meio grande.



Alice: Boa tarde, Rafael. Há algumas semanas atrás eu fiquei sabendo que você tinha um vinil autografado pelo George Harrison. Será que você poderia contar a história do disco?
Rafael: Boa tarde, Alice. Na verdade, não é um vinil, é uma carta. Eu tenho uma amiga chamada Lizzie que foi pra Inglaterra em 1967. Ela mantinha contato com as amigas no Brasil. Uma delas era Christine, que é louca pelo Harrison. E a Lizzie ficava um tempão na porta do estúdio dos Beatles esperando por notícias e sempre mandando informações para Christine. Christine então descobriu o entereço do George e mandou algumas cartas a ele. A mãe do astro (Louise Harrison) respondia a cada uma das cartas e, uma delas, Christine recebeu de volta com uma foto do George junto da Patty e um cartão do fã-clube oficial do quarteto. No início dos anos 70, George Harrison veio ao Brasil assistir às corridas de Fórmula 1 (das quais ele era fã). Christine foi até o estúdio da Warner para encontrá-lo assim que descobriu que ele havia vindo pra cá. Nesse encontro, ele autografou a tal carta. Em 2005, Christine estava interessada em vender o autógrafo (ela tinha vários). Eu comprei a carta e tenho ela até hoje.

Alice: Qual é a história mais legal que você tem relacionada aos Beatles?
Rafael: Pois é, essa minha amiga Lizzie, ficava na porta do estúdio dos Beatles esperando eles chegarem (ou saírem). Ela sempre pedia autógrafos pra mandar pras amigas. Um dia, o produtor deles perguntou a ela se conseguia segurar uma nota bem alta. Ela respondeu que já tinha feito aulas de canto no colégio e que conseguia sim. Então, Lizzie foi convidada para gravar uma nova versão de Across The Universe. Ela cantou junto com os Beatles e sabe aquela música deles que foi mandada pro espaço? É ela que canta naquela música.

Alice: Fiquei sabendo através de fontes semi-confiáveis que você tem uma coleção de mil LPs. Verdadeiro ou falso?
Rafael: Eu coleciono vinil. Tenho mais de mil deles, nem dá pra saber quantos, tenho muitos. Eu tenho um amigo que trabalhava na EMI e no início dos anos 90, quando George Martin veio ao Brasil para se apresentar na Quinta da Boa Vista com uma orquestra tocando músicas dos Beatles, ele, já que trabalhava na EMI, teve acesso ao cara e conseguiu que ele autografasse um vinil. Há algum tempo ele me vendeu o LP que faz parte da minha coleção.

Alice: Curte Beatles desde quando?
Rafael: Eu gosto de Beatles desde os 9 anos. Na minha escola tinha umas atividades lúdicas e uns amigos meus inventaram de imitar os Menudos. Um amigo meu que não queria ser dos Menudos me convidou para imitar os Beatles. Eu era o George Harrison. Comprei uma guitarrinha de plástico numa papelaria e a gente cantava umas músicas tipo Help, She Loves You, essas coisas. E depois disso eu não parei mais. Gosto muito de Beatles até hoje.

Alice: Qual é o seu disco e/ou música favoritos?
Rafael: Polêmica. Bola dividida. Difícil mesmo. Acho que o disco que eu mais tenho é o Álbum Branco (White Album). Tenho mais de 20 versões (em português, inglês, alemão, russo, etc). E esse disco tem uma história do casseta. Na primeira edição dele no Brasil, teve um erro ao prenssarem o lado B do disco 2. O disco saiu todo errado e a música mais grotesca é o Revolution. A música ficou completamente louca. O LP é uma raridade porque foi recolhido assim que souberam do erro. Mas eu ainda tenho o meu.

Alice: Yoko Ono é uma figura polêmica na história da banda. O que acha dela?
Rafael: Eu gosto da Yoko Ono. Super-mulher, artista plástica, pós-moderna, e pianista clássica, coisa que o John nunca fez. Além de conhecer mais música do que ele próprio. O problema é que ela era muito manipuladora. Mas eu sei que ela era realmente polêmica.

Alice: O que você acha do legado dos Beatles para as novas gerações?
Rafael: Eu acho que tá dando certo, né Alice? Você é o exemplo disso (risos)

Alice: Quanto à sua coleção de mais de mil vinis, me vende por 20 centavos, minha admiração eterna e dois chicletes?
Rafael: (Mega Gargalhada) Tá puxado. Não rola de jeito nenhum, não dá não.

Alice: Será que você mudaria a sua resposta se eu pedisse 'por favor'?
Rafael: Não, claro que não (muitos e muitos risos)



Fim!!

9 comentários:

Anônimo disse...

ADOREI, ficou mto bom!

ps: so vc mesmo p fazer a ultima pergunta,haha

Anônimo disse...

nossa ! eu tb sou viciada nos beatles , eu e minha familia toda ! eu tenho todos os cds dos beatles remasterizados (versão 2009 ) meu pai tem um quadro com a partitura de yestarday autografada por paul e george martin , qe só forma feitas 100 em todo mundo ! temos teh beatles rockband e mais.. nossa estou muito feliz de ter alguem que fes ese blog . está fantástico ! parabéns !

Alice disse...

Muito obrigada, adorei saber que tem gente que realmente gosta do meu blog. Quanto a essa partitura ai, eu queria muito ver uma dessas ao vivo e a cores. Seria muito legal mesmo. Se quiser, pode me mandar uma foto dela que eu faço questão de postar aqui. Meu email é alicegastaldo@gmail.com Obrigada denovo, e continue visitando e comentando sempre!! =D

Barbie disse...

Muito legal Alice! Muito engraçada!

Walk disse...

euri:X muito legal alice ^^, adorei *---*

rafael disse...

Valeu Alice, legal saber que a galera gostou da entrevista. Saudações beatlemaníacas!

Alice disse...

Valeu Rafael!! Vamos ver se marcamos pra eu ir na sua casa ver esses LPs ai... uhasuahusshush

Anônimo disse...

O maluco gosta da yoko!!!!

Alice disse...

olha, eu particularmente não tenho nada contra o ''maluco'' gostar da Yoko Ono. Mas concordo que ela tambem não me agrada muito.